Adri Alves

🌞 Era uma vez...

Quando aprendi a ler, achei que a leitura e pesquisa fossem a única maneira de sanar minha curiosidade sobre o que é e sobre como estar aqui, vivendo!... Meu sonho era ser professora, filósofa, desenhista, artista, escritora, cantora, musicista. Confesso que eu nunca me vi dentro dos scripts pré-programados do que uma mulher deve ser.


Meu sonho de ser escritora me deu uma caligrafia linda e incentivou meus estudos gramaticais e o gosto pela leitura... Meu sonho de ser artista visual me ajudou a desenvolver senso estético que uso para embelezar a percepção das coisas...


Eu sempre fui inventiva e criativa. Desde criança inventava empreendimentos, aumentava o dinheiro que ganhava, inventava eventos, concursos e premiações na escola, criava projetos sociais para engajar a galera... A vida era uma festa!


O que mais é possível aqui?

...

Uma das grandes alegrias da minha adolescência foi a biblioteca pública (Brito Broca). Ela era o meu "Google", já que naquele tempo nem internet existia... Ali, li de tudo. Essa biblioteca tinha livros (doados provavelmente) de coleções raras. Eu amava aquele cheiro e sempre saia de lá com pelo menos um exemplar emprestado.


Isso me tornou uma criatura exótica, que tinha um vocabulário amplo, inteligente - não acima da média, mas apenas porque estudava e tinha mais informação. Com as pessoas da minha idade eu não tinha muito a trocar. Na verdade eu era sem noção: sabe essa coisa de não perceber e apenas projetar? Eu me projetava nas pessoas, e então muitas vezes ficava horas falando com alguém que simplesmente não entendia nada do que eu dizia. Aos poucos fui sacando isso...


Como eu percebi? Porque eu comecei a incomodar geral sendo quem eu era. Aliás, é um fenômeno recorrente nesta minha encarnação... O SABER é infinito e eu ESCOLHO ver em cada UM algo que eu possa receber - e escolher o que eu levo para minha vida... Saber um pouco mais não impediu que eu quebrasse a cara, ou tivesse de experienciar muitas coisas...


Voltando... a saída para não me comprimir mais ainda era fazer piadas, aflorar o sarcasmo - aonde na maior parte das vezes só eu entendia e ria sozinha, enfim... Realmente para comediante não faltava nada. As limitações das pessoas com seus julgamentos e ao mesmo tempo a dificuldade que elas têm de RECEBER me impedia de contribuir (estou falando de 30 anos atrás) ...


Eu tinha sacadas geniais, intuição e capacidades psíquicas (sempre tive). Isso fazia com que insights valiosos surgissem "do nada", e então de vez em quando eu canalizava uns desenhos, umas pinturas, uns textos...


...

Iniciei minha vida profissional aos 16 anos (estou com 46). Se tivesse escolha, provavelmente teria seguido o mesmo caminho da maioria: me dedicado à alguma formação acadêmica... para então batalhar por um estágio, para então ter a sorte de ser contratada por uma grande corporação e ficar lá - e quanto mais tempo ficasse, mais teria alcançado o que a sociedade sempre disse que é o CERTO, o que é ser um sucesso.

...MAS, A VIDA TINHA ALGO MAIS INTERESSANTE PARA MIM!


Comecei um emprego na Livraria Saraiva do Shopping Iguatemi. O registro na carteira dizia: "entregador" como cargo... e a maior parte do tempo eu embrulhava os livros dos clientes depois do pagamento. Posso dizer que eu fazia embrulhos caprichados, com origame e dobraduras lindas - as dobraduras me divertiam... enquanto eu tolerava um ambiente de absurda hostilidade! Eu era obrigada a levar malotes pesadíssimos do shopping até a sede da Saraiva (na Praça da Sé)... Até então, eu só ia da escola pra casa e de casa pra escola... e foi bem chocante todos os dias andar da Praça da Bandeira até a Praça da Sé olhando todos aqueles pedintes, vendedores, cheiro estranho, barulho, sujeiras... fora o calor do verão. Usava uma camiseta (uniforme) de tecido sintético de quinta categoria que me fazia feder (os desodorantes da época não eram tão potentes)!


...

Depois de 3 meses eu tive coragem de enfrentar tudo e todos - minha família não aprovou - e escolhi nunca mais voltar. Pedi minha demissão.


Depois desse trabalho, fui parar numa agência de empregos como recepcionista... Também uma experiência inesquecível e foi só mais uma experiência da vida me dando uns pequenos chutes para dentro das limitações dessa matrix... Eu tinha de fazer o filtro inicial antes de mandar algum candidato para uma entrevista com as selecionadoras... Eu achava um horror ter de observar pré-requisitos do tipo: pele branca, sem filhos, boa aparência, até 35 anos, 10 anos de experiência. Experiência em atividades mecânicas, na maioria das vezes para ganhar um salário-mínimo!!! Lembro que eu deixava passar gente fora dos pré-requisitos. Alguns, chegavam e implorar! A gota d'água para minhas chefes foi o dia em que elas me pegaram no flagra preenchendo a ficha para um semi-analfabeto. No dia seguinte fui humilhada e demitida. Sim, não bastava demitir: tinham de esculachar, chamar de incapaz a adolescente de 17 anos...


Como "mágica", quando eu desci do ônibus na volta da agência de empregos depois da demissão encontrei no ponto de ônibus uma amiga da escola. Falei que eu tinha acabado de ser demitida... e no mesmo dia ela me indicou para um trabalho na empresa em que ela trabalhava. Era 1993, e então tive a oportunidade começar a trabalhar numa empresa de moda streetwear. O dono, Beto da ALVA, é uma destas pessoas que eu agradeço ao Universo! Pessoa antenadíssima às novidades da computação que me iniciou no mundo da informática, e como sempre gostei de estudar entrei de cabeça! Eu tinha pelo menos 2 horas de "tempo livre" na empresa, então aproveitava esse tempo para estudar ferramentas e tutoriais. Fiquei apaixonada pela Microsoft, Windows e as ferramentas do MS-Office...! Integrando estas ferramentas, reduzia cada vez mais meu tempo de trabalho, automatizando várias atividades... Recriei o sistema de fluxo de caixa, o cálculo de salários dos mais 30 funcionários usando o MS-Access como plataforma base. Tinha cabeça e uma capacidade de pensar criativamente com aquelas ferramentas... "Maluquice" para uma menina nerd, mas eu me sentia como se o Windows e a minha mente fossem a mesma coisa (5)!


Após 4 anos, tive que sair da ALVA. Foi horrível, e também foi horrível minha tentativa de levar aquele espírito empreendedor, a liberdade criativa, enfim, recriar aquele mundo em outros ambientes corporativos.


De lá, passei um ano dando aulas de informática, e depois me tornei consultora de empresas de outsourcing.

Passei por empresas como BCP (atual Claro), Johnson & Johnson, Solvay do Brasil e Natura e outras. Confesso que eu sempre achei tudo estranho e meio mágico... Era interessante e eu não sabia exatamente como funcionava, eu só sei que eu criava coisas na minha cabeça, e elas aconteciam.


Eu tive uma fase muito interessante neste mundo. Resumindo, com 23 anos eu estava num cargo de Gerente de Marketing. Eu sabia interagir com humanos. E, obviamente que não era apenas a minha capacidade técnica que abria portas, eu gostava de interagir, de circular, fazer networking...


No marketing desenvolvi minhas habilidades com Design, Vendas e Comunicação. Somei aos conhecimentos de TI e me tornei empreendedora de Serviços de Marketing Digital em com 25 anos.

Nessa fase, as vendas aconteciam pelo networking, indicações, palestrando em eventos presenciais... eu quase precisava convencer empresários e empreendedores de que a internet era o futuro dos negócios, veja bem...!

Desde então, são mais de 600 Empresas obtendo resultados que vão da Criação de Produtos e Serviços até o posicionamento e aumento de 550% no faturamento através da internet!

Estes clientes, em sua maioria, são escritórios de Arquitetos, Auditores, Pequenas Indústrias, Escritórios de Advogados, Consultórios e Clínicas Médicas, Escolas, Consultorias, Consultores, entre outros.

(...outro dia continuo...)

...


Desde então uma série de eventos aconteceram, muito mais autoconhecimento, que contribuíram e contribuem para a evolução de meus empreendimentos e para os projetos que desenvolvo.

Vivendo e trabalhando com múltiplas tarefas, a Meditação e as Ferramentas Energéticas que pratico são minha FONTE DE CRIAÇÃO!

Como empreendedora da área do Bem-Estar, desde 2016 atuo como Facilitadora de Access Consciousness®, sendo a 1ª Facilitadora do Mundo por 3 anos consecutivos!


São mais de 360 classes facilitadas para centenas de pessoas em eventos presenciais!


Hoje, além destas atividades, uso essa experiência e conhecimento em projetos para Empreendedores e Profissionais, através minha "MENTORIA HIGH 5"!

Quanta sabedoria, quantos insights, quanta expansão e realizações!

E é nessa jornada que estou.
Inspirando outras pessoas (que hoje estão vivendo como eu vivia) a criarem mais mudanças em suas vidas!

São muitas histórias lindas de clientes e de alunos… São as minhas próprias histórias que todo dia me surpreendem.

...

E é nessa jornada que estou.

Como posso ter mais disso?
Como pode melhorar ainda mais Universo?
O que mais é possível, que eu ainda não percebi?

★ ADRI ALVES ★


Falar no WhatsApp